facebook bloom instagram bloomEncontre-nos nas redes sociais

Plantas Tropicais: por que são a melhor aposta para uma sociedade mais verde?

Saiba como espécies de regiões quentes, como a nossa, são uma ótima pedida para enfrentar os desafios do aquecimento global e garantir a sustentabilidade

Uma pesquisa, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) em 2010, demonstrou que cerca de um terço das residências urbanas do Brasil não têm uma árvore sequer no seu entorno.

Esse dado é extremamente preocupante, visto que a presença de áreas verdes, principalmente no ambiente urbano, traz imensos benefícios, como a redução da temperatura e a purificação do ar, em função de as plantas reterem elementos tóxicos da atmosfera, que podem trazer problemas à saúde humana.

Características de locais mais quentes e com maior presença de sol, como o Brasil, e dotadas de exuberância e versatilidade singulares, as flores e folhagens tropicais ornamentais são ótimas pedidas para melhorar a quantidade de verde das cidades brasileiras, visto que suportam altas temperaturas e se adequam a diversos ambientes, podendo ser cultivadas desde jardins a vasos de plantas.

Quais são as principais plantas tropicais ornamentais?

O nosso país abriga a maior biodiversidade do planeta, com cerca de 20% das espécies de flora e fauna da Terra, o que sinaliza para a existência de dezenas de tipos de plantas tropicais no nosso território.

No entanto, alguns dos tipos mais comuns, que podem ser encontrados mais facilmente em residências, eventos, empresas, floriculturas, lojas online (e-commerces) e mesmo na rua – sim, você já pode ter esbarrado numa dessas plantas por aí – são as alpínias, helicônias, antúrios, costelas de adão e as inusitadas shampoos.

  • Alpínias – também conhecidas como gengibre vermelho, essas flores de origem asiática são frequentemente usadas em jardins tropicais mundo afora. Em geral, apresentam coloração rosa e vermelha, e florescem durante o ano inteiro. Sensíveis ao frio, são muito comumente usadas como flores de corte, compondo ainda arranjos ou buquês, que podem ter ainda suas folhagens grandes;

  • Helicônias – originárias de regiões da América, essa espécie, que tem como um dos principais habitats a Amazônia, conta com mais de 300 variedades. Suas folhas se assemelham às da bananeira e suas flores apresentam coloração, que contrasta um vermelho-alaranjado e um amarelo bem vibrante. Comuns em jardins, mas também em arranjos, têm alta resistência para transporte e boa durabilidade, e são indicadas para ambientação de grandes espaços, principalmente próximos a muros;

  • Antúrios – a flor do antúrio mede, na verdade, o tamanho de uma cabeça de alfinete. A parte majestosa que vemos dessa planta natural da Colômbia é sua inflorescência, que ostenta um brilho e um vermelho vibrante característicos. Reconhecida por durar mais tempo do que as demais espécies, essa planta conta com mais de 600 variedades e gostam de locais de meia-sombra, sem o contato direto da luz do sol. São boas para vasos e arranjos, o que as torna um dos coringas na hora de presentear, principalmente o público masculino; 

  • Costelas de Adão – naturais do México, essas folhagens têm um design natural, que lembra costelas e que é cada vez mais usado para compor a decoração de ambientes. Utilizadas como pontos de cor em ambientes monocromáticos, as costelas de adão são comuns em vasos, onde aparecem sozinhas, ou arranjos, sozinhas ou com outras espécies, principalmente contrastando com superfícies de madeira. São plantas de meia-sombra também e costumam ter crescimento acelerado, o que pode exigir maiores espaços para comportá-las; 

  • Sorvetão ou Shampoo – também conhecidas como gengibre-magnífico, essas plantas naturais da Tailândia costumam passar de um amarelo-brilhante ao róseo-avermelhado, finalizando com um intenso vermelho-escuro, ao envelhecerem. Com aroma que lembra o gengibre, possuem hastes fortes e folhas verdes e aveludadas. Valorizadas no mercado internacional, principalmente na Europa e nos EUA, essa espécie é frequentemente usada em renques próximos a muros e copas de árvores, mas também combinam com vasos e arranjos, exigindo distanciamento da luz direta do sol, devido à sua sensibilidade.

 

Versatilidade na decoração com espécies tropicais

Sabe aquele ditado que diz que “o jardim do vizinho sempre parece mais verde”, o que nos remete a achar que sempre as coisas que não são nossas têm menos valor? Pois é, pelo menos no universo da decoração de ambientes o ‘jogo’ parece que vem virando a favor do que é nativo, mais especificamente no que tange ao uso das plantas tropicais na composição de espaços residenciais, corporativos e de eventos.

Queridinhas de arquitetos e decoradores, que buscam promover maior frescor, colorido e contato das pessoas com a fauna nativa, através da inserção dessas espécies nos mais diferentes ambientes, as flores e folhagens tropicais são verdadeiros ‘camaleões’ naturais, visto que podem figurar, muitas vezes, sozinhas, dispostas sobre mesas de jantar em pratos decorativos ou até mesmo compondo verdadeiros paredões verdes, em varandas, que ajudam a diminuir a poluição sonora em locais de grandes cidades. 

 

Sustentabilidade desde o Plantio

Já falamos aqui que um dos grandes atrativos das flores e folhagens tropicais é a durabilidade dessas espécies, especialmente em climas mais quentes como o do Brasil. No entanto, como todo ser vivo, elas têm um tempo de vida – o que gera um material orgânico, quase sempre lançado diretamente na natureza.

No Cultivo Bloom, além do serviço de aluguel de flores e folhagens Estação As Flores do Mundo para eventos, que faz o recolhimento das espécies alugadas, após o término do evento – evitando o descarte dessas plantas, levando-as de volta ao nosso Plantio em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife – ; investimos em ações como a compostagem de material orgânico e vermicompostagem com minhocário, para que o material das plantas em decomposição possa servir de ‘alimento’ para o solo e gere novas espécies, contribuindo para a preservação do meio ambiente, a ampliação de áreas verdes e a sustentabilidade do nosso Planeta!

Ações e Futuro compartilhados

Ampliar a quantidade de verde, especialmente nas áreas urbanas do nosso país, é uma necessidade e uma tarefa que depende de cada um de nós! E, com uma biodiversidade gigante como a nossa – prova disso, está na riqueza das nossas flores e folhagens tropicais – não há como negar que esse desafio se torna mais simples, concorda?

Deu para perceber que a presença de plantas tropicais, mesmo um arranjo simples, já é capaz de modificar o ambiente, nos conectar com a natureza e, por que não melhorar o nosso humor, com o sentimento de que estamos contribuindo para uma realidade mais verde e limpa?

Então que tal saber mais a respeito desse universo amplo das Plantas Tropicais, e, de quebra ainda conferir informações que ajudam nessa empreitada de sermos cada vez mais responsáveis com a saúde do nosso Planeta? Acompanhe nossas atualizações por aqui e através das nossas redes sociais (Facebook e Instagram): @sigabloom @asfloresdomundo (@asfloresdomundoo – Instagram) @estacaoasfloresdomundo

 

 

 

 

 

 

Semana Bloom

🍃 Está no ar mais uma SEMANA BLOOM! 🍃

Do dia 23 a 26 de maio Recife sediará a segunda edição da Semana Bloom – Por cidades mais verdes.

Um evento que propõe repensar sobre as possibilidades que temos, enquanto pessoas e empresas, de melhorar o meio ambiente em que vivemos.

Serão quatro dias de palestras, cursos, oficinas e atividades voltadas a assuntos ambientais, que incentivem o bom hábito do cultivo desde cedo!

Entra nessa com a gente e corre logo pra fazer a sua inscrição através do link: https://www.sympla.com.br/semanabloom2018